Resultados da busca para o termo: label/Peru

Look de viagem – Como escolher a bolsa para viagem?

Como escolher uma bolsa para viagem? Este post eu estou devendo, mas chegou a hora e vou fazer bem cheio de detalhes para vocês não errarem nessa hora.No meu dia a dia a minha bolsa já é bem grande, então na viagem não seria diferente.

DSC05512 Look de viagem   Como escolher a bolsa para viagem?

 

Quantas bolsas levar em uma viagem?

Minha dica é:  2 a 3 peças. Serve para qualquer tipo de viagem, não tem erro:

- Uma bolsa maior – para o dia do embarque e o dia a dia da viagem.

- Uma bolsa menor – para os dias em que não precisa levar muita coisa ou que vai sair à noite.

- Uma carteira – bem opcional. Depende do seu tipo de viagem.

Na foto que abre esse post, eu estou em Dubai, com uma bolsa da Michael Kors que comprei em NY. Tamanho, cor, tudo ótimo.

Também usei a mesma bolsa na Índia.

DSC06116 Look de viagem   Como escolher a bolsa para viagem?

 

Dica muito importante

- A sua bolsa não deve ser dura / rígida, pois se você precisar acomodá-la na mala ou algo do tipo, ficará mais complicado e pode até mesmo danificar a sua bolsa. Olha essa bolsa rosa da Ellus que eu escolhi para viajar para o Perú e Bolívia:

DSC00865 Look de viagem   Como escolher a bolsa para viagem?
A outra dica de ouro é essa que você pode ver na imagem acima: a bolsa tem que ter duas alças.  Uma mais curta para você fazer um estilo mais arrumadinha e uma daquelas grandes, para você atravessar no corpo sempre que precisar de mais praticidade que estilo.No Projeto 30 em 30 eu viajei com essa bolsa da Calvin Klein. Não foi uma boa escolha por dois motivos:

um que ela ficava aberta. Só tinha um delicado fecho que me deixava insegura a todo momento. Outra que ela era de tecido o que foi terrível no dia que peguei uma nevasca inesperada em Amsterdam.

DSC00822 Look de viagem   Como escolher a bolsa para viagem?
Essa foi a usada na última viagem, para o Japão. Foi ótima, comprei na Zara de Londres. Eu amo essa bolsa, mas ela não foi tão boa para viajar, porque…

DSC00506 Look de viagem   Como escolher a bolsa para viagem?

Porque ela não tem fecho. É no estilo sacola. O bom é que cabe tudo o que preciso, mas ficava insegura, muitas vezes, pensando se alguém não estaria colocando a mão pelas laterais e pegando algo dentro dela. Mas o tamanho e cor foram ideais. Combinava com tudo.

E hoje eu comprei a bolsa da minha próxima viagem! Penso na bolsa antes mesmo de pensar no destino, rs.


Mochila


Algumas pessoas perguntam se eu não viajo de mochila. Só viajei de mochila uma vez na vida em uma viagem pela Europa com as minhas amigas e me senti um menino. Eu sou baixinha e eu e a mochila éramos um volume só. Mas… Andam fazendo umas mochilas mais fashion e estou buscando alguns modelos bem legais para indicar aqui. Em breve faço um post com algumas sugestões. Mas anota aí, repassando:


1
.  Cor –  preferência para neutra, mas se quiser se jogar na cor, faça e pronto. eu já viajei com bolsa rosa pink e agora comprei uma verde. 


2.
 Tamanho da bolsa para viagem – se tiver que escolher apenas uma, opte por um tamanho médio a grande. Assim cabe tablet, guia, compras e por aí vai. 


3.
Segurança – escolha uma bolsa que tenha zíper ou que feche por completo. Eu mesma já fui assaltada na Espanha, por exemplo. Então não é porque está viajando por Europa, EUA que não pode acontecer algo com uma pessoa de má fé ao seu lado. 

Beta Rodrigues conta… "Como foi a minha primeira vez!"

Viajar sozinha depois de ter viajado a vida inteira acompanhada? Qual a expectativa para esse momento? Solidão? Abandono? A Beta Rodrigues conta como foi a sua… Primeira vez!

Beta+assisi Beta Rodrigues conta... "Como foi a minha primeira vez!"
Beta em sua viagem sozinha por Assisi

"Já havia viajado antes, muito, com meu ex-marido, com meus filhos e genro, mas seria
a primeira vez sozinha, a primeira de uma série no meu novo ciclo!

Me preparei durante uns 8 meses. Estava decidido, depois de me recuperar de um
problema de saúde, a vida teria um novo significado para mim. Então iria para a Itália 
conhecer a minha primeira netinha.  Iria para Assisi, conhecer a cidade de Francesco e Chiara di Assisi, e depois para: Perugia, Cinque Terre, Venezia e outras cidades daquela região.

Entrei num curso de italiano e me dediquei muito. Nos últimos dias antes da viagem quis 
fraquejar, me bateu um medo... De tudo! Do avião, da claustrofobia, de travar a língua e não lembrar uma só palavra do italiano! Mas meus colegas de aula e minha professora querida, 
Karina, não deixaram dúvidas:  

Eu tinha de ir. E pronto. Daria tudo certo. Minha professora me emprestou um chip
telefônico da Itália e me ligou várias vezes. Adorei! Mas o que mais me surpreendeu foi saber como é bom viajar sozinha!
Beta+cinque Beta Rodrigues conta... "Como foi a minha primeira vez!"
Cinque Terre – Itália
É como estar solta no mundo! Você é responsável por seus atos e só! É só ser você 
mesma!  Sem máscaras, sem sobrenome, sem casa, sem sociedade, sem pai, nem mãe.
Ninguém conhece você, e você não conhece ninguém. Um dia você come com violino e
copos de cristais, no outro um sanduba na calçada!

Tá certo que tem regras. Se você não estiver no trem... ele parte sem você! Tem de andar 
na "linha" rs.

beta Beta Rodrigues conta... "Como foi a minha primeira vez!"

Tem uma citação, de um fotógrafo daqui de Curitiba que se encaixa muito bem ao que
senti nessa minha primeira viagem sozinha:

"Em cada cidade sou um outro de mim. Fatia fina guardada abaixo da epiderme e só
vista quando entro em contato com outras cidades.

Basta atravessar estas inúmeras linhas imaginárias que transbordo em outra
identidade, outro de mim, sem par, único naquele instante e lugar.

Este eu inexato, múltiplo, cuja a identidade se transmuta ao sabor dos sotaques e da
arquitetura, aconselha aos viajantes, experientes ou não, que realmente partam sem
olhar para trás.

Encontrarão solo virgem de seus pés e paisagens pregadas por Deus, certamente o
primeiro dos fotógrafos, prontas para serem arrancadas por olhares de gula.

Engula tudo, saboreie, perca os medos e dobre todas as esquinas, pois viajar é se
perder; e se perder novamente para, caso tenha sido um viajante dedicado, nunca mais
se encontrar."
Osvaldo Santos Lima

Beta+sorrindo Beta Rodrigues conta... "Como foi a minha primeira vez!"




Como Beta começou a viajar?

Depois de trabalhar 22 anos num banco federal, tive uma lesão na medula espinhal, que me afetou da cintura para baixo. Como sempre tive muita "garra" e fé, disse ao médico: 'Se de mil pessoas uma fica boa, esta serei eu.'.

Foi quando comecer a vencer desafios: voltei a andar e consequentemente passei a viver mais. Até que finalmente, aos 52 anos, me tornei mochileira e para poder dividir com todos minhas experiências, acabei virando blogueira. Ele é a prova da realização de sonhos que pude, posso e vou continuar realizando.

Quer conhecer mais sobre as viagens da Beta Rodrigues? Clique aqui e vá ao Férias de Mochila!

Vai viajar sozinha!? Veja esse vídeo sobre os momentos de solidão! Clique aqui!